NO QUE ACREDITO

DECÁLOGO DE PRINCÍPIOS POLÍTICOS

 

1. Acredito na supremacia da Constituição Federal e nas leis como bases de sustentação da República, da Federação e da solidariedade nacional. A legalidade sempre e a todo o custo deve ser o norte que orienta a vida política e civil de governantes e governados;

 

2. Acredito no primado da democracia direta e representativa como qualidades a garantirem o Estado de Direito, a participação política e as liberdades públicas. O poder sempre será do povo que é senhor dos destinos políticos da nação e é quem orienta a vontade de seus representantes eleitos;

 

3. Acredito na afirmação constante dos direitos e garantias fundamentais de todos os cidadãos e cidadãs como forma de elevar e manter a dignidade e a justiça. Só com uma cultura de respeito e prática de direitos humanos é que a civilização se afirma ante a barbárie;

 

4. Acredito na liberdade individual sempre quando voltada aos valores sociais, públicos e comunitários. A liberdade não é fim em si mesma. Ela serve para alguma coisa útil. Homens sem liberdade, aviltam-se. Homens com liberdade ilimitada tornam-se egoístas no próprio interesse;

 

5. Acredito na educação e na cultura como formas de emancipação humana permanente de crianças, jovens e adultos. É preciso formar hoje o cidadão educado, culto e consciente para a vida atual. O futuro é distante e incerto e amanhã é sempre tarde;

 

6. Acredito na vocação do trabalho e na justiça social como formas de alcançar o desenvolvimento econômico sustentável e a geração de riquezas aos trabalhadores e empreendedores. Acabar com as desigualdades sociais históricas, corrigir os níveis de distribuição de renda, melhorar a qualidade de vida e o acesso aos bens públicos e privados do povo é dever e responsabilidade permanente;

 

7. Acredito na mobilização e na participação popular. A Política e a coisa pública são bens intangíveis da sociedade em geral e dos homens e mulheres que prezam pela vida da comunidade onde nasceram, vivem e pretendem ser felizes. Ser cidadão e cidadã conscientes é tarefa difícil que não convive com a omissão;

 

8. Acredito no papel central do Estado e das instituições públicas como decisivos para regulamentar, fomentar, colaborar e fiscalizar as iniciativas e atividades públicas e privadas. Governo demais é totalitarismo indesejável. Governo de menos é omissão intolerável. Os Governos devem atuar com equilíbrio na busca da eficiência e resultados concretos na vida das pessoas que mais precisam deles;

 

9. Acredito na responsabilidade pública e na transparência de propósitos e ações políticas. Todo o representante, mais que a obrigação de ser honesto e íntegro, tem o dever de ser cobrado por sua atuação, seja ela através de suas opiniões, atitudes e desempenho;

 

10. Acredito na Política e no modo honrado de praticá-la. Ninguém representa a si mesmo ou sua vontade. Quem se dedica a representar quem estuda, trabalha, empreende, os que têm pouco ou nada possuem, deve lutar e contribuir para mudar-lhes a realidade e as condições de vida para que alcancem a dignidade e a felicidade.

 

Eu sou Ben-Hur Rava e é nisso que acredito politicamente!